domingo, 28 de novembro de 2010

GANHOU A MAGISTRATURA E PERDEU O JOGO MIDIÁTICO

Nelson Calandra o vencedor
Gervásio Santos o perdedor
Gervásio Santos seguiu a orientação do atual presidente da AMB, Mozart Valadares, que sempre criticou desembargadores e juízes publicamente, e depois pediu desculpas no particular. Nos artigos que escrevi enfatizei essa postura dúbia, tanto de Mozart como de Gervásio que se presta a diferentes interpretações, num discurso ambíguo, duvidoso, incerto e hesitante.

A minha intromissão nesta eleição de uma entidade que representa, não a Magistratura brasileira, mas toda a nossa sociedade foi considerada por esses dois magistrados que perderam a eleição como uma pena comprada. Em outras palavras, Mozart e Gervásio afirmaram que fui subornado por Nelson Calandra.

O que escrevi e reescrevo é que Mozart Valadares não perdeu uma oportunidade para aparecer, e na maioria de suas manifestações só se prestou a desagregar a Magistratura, macular a imagem do magistrado, incitar o público contra a classe, quando tinha a obrigação de defendê-la, como órgão de classe que é.

Quando a Magistratura precisava de respeito, união e força, as manifestações deste presidente só serviram para adular, lisonjear baixa e servilmente, os menos avisados, e também para tentar dar prestígio popular ao seu candidato Gervásio Santos.

O que pude observar nessa disputa é que enquanto Gervásio assumiu o papel de Mozart, e foi um ator coadjuvante, Nelson Calandra falou como um verdadeiro Magistrado a seus semelhantes. Nos debates, por exemplo, Gervásio estava mais preocupado com as dicas que recebia de seus marqueteiros no seu IPhone do que com o que os desembargadores e juízes queriam ouvir. Falou o tempo todo para a mídia e esqueceu os eleitores.

Reafirmo e considero esse o grande malogro da eleição de Gervásio. A tese de Mozart de fazer o uso midiático e o uso da máquina da AMB para jogar com o público e com a população, para fortalecer o seu candidato, incorreu num erro fatal. Gervásio e Mozart esqueceram que representam uma categoria de classe e que deveriam se preocupar com os interesses da categoria que representam.

Com essa tese não foram avante e perderam. Ressaltei essa falha da campanha deles 15 dias antes da eleição. Gervásio e Mozart jogam tanto para a mídia que preferiram criticar-me como jornalista e comunicólogo que sou do que se ocupar fortemente com a Magistratura Brasileira.

Inquietaram-se com a mídia e perderam dentro da própria AMB. Calandra obteve mais 55% dos votos dos dirigentes da AMB. Em Brasília teve quase 62% dos votos de desembargadores e juízes. Em Minas Calandra teve mais de 80% e em São Paulo mais de 90%. Gervásio só ganhou bem no Maranhão sua terra natal.

Para a minha "pena comprada" tenho uma alternativa para Gervásio e Mozart. O dinheiro que Nelson Calandra usou para me subornar, como eles afirmaram de forma ácida, gostaria de reverter para eles.

 

Como não recebi nada de Nelson Calandra, tenham certeza Gervásio e Mozart, vocês, infelizmente, vão ter que colocar a mão no bolso e gastar do próprio dinheiro para  comprarem Ácido Acetilsalicílico. É um analgésico, antipirético e anti-inflamatório, utilizado no tratamento da dor, principalmente na dor de cabeça. Como Aspirina, Neosaldina e outros. Já que dor de cabeça vocês devem estar sofrendo depois dessa derrota acaçapante das eleições da AMB.

4 comentários:

  1. Parabéns a Nelson Calandra!

    ResponderExcluir
  2. PARABÉNS. VOCÊ SEMPRE ENTRA PARA GANHAR NÃO É MESMO ? TROUXA É QUEM TENTA TE ENFRENTAR .
    BOA SORTE .

    ResponderExcluir
  3. Seu blog é muito interessante mas observo que alguns comentários sempre tendem a somente concordar com você e não comentar o assunto É uma pena....

    ResponderExcluir
  4. Anônimo aqui de baixo4 de dezembro de 2010 04:37

    Discordo plenamente do anônimo aí de cima.
    Assinado Anônimo aqui de baixo.

    ResponderExcluir